terça-feira, 26 de junho de 2012

Cristão X Estado/Política Partidária



Cristão X Estado/Política Partidária



O Evangelho não depende de nada. O Evangelho é a Boa Notícia de que Deus amou o mundo e deu seu Filho Unigênito. As instituições que traíram o Evangelho é que se macomunam com a política humana e com o Estado. A igreja não precisa de advogado nem de político para defendê-la. A igreja nada tem a ver com o Estado e nem o estado conosco. Somos os profetas de Deus e profetas não vão à festas de reis. Podemos cooperar com o Estado? Podemos e sempre iremos cooperar. Como? 1º Ajudando pessoas a serem melhores cidadãos; 2º Advertindo o Estado de seus erros e conclamando toda a Sociedade ao arrependimento; 3º Cooperando com os movimentos em favor do bem e da justiça. Mas não dependemos do estado, de política nenhuma, nem de nenhum político. Não temos nenhuma relação direta com o Estado. Claro que isso não quer dizer que os membros da comunidade do Cristo não possam exercer atividade político partidária. Podem! Mas se assim o decidirem, NÃO O FARÃO EM NOME DA IGREJA, FARÃO EM SEU PRÓPRIO NOME, DE SEU PARTIDO E DE SUA IDEOLOGIA. E ESTANDO LÁ, TERÃO QUE SER COMO SERIAM EM QUALQUER OUTRO LUGAR E SE PORTAR COMO DEVE SE PORTAR EM QUALQUER OUTRO LUGAR. Se assim no o fizer a igreja deverá exercer disciplina sobre ele pois não se portou como cristão. Se este irmão tem vocação político-partidária, e é da ideologia "A" ou "B", é um direito dele como cidadão se candidatar, cada um sabe qual é o caminho, é só se filiar à um partido e buscar voto na rua. Mas se está achando que vai usar a igreja como "curral eleitoral" e que os irmãos são obrigados à votar nele por ser irmão, ele perdeu o "bonde da história" aí... Não sabe o que está fazendo e o que deve fazer. Se quiser voto, deverá demonstrar que é digno de voto de qualquer cidadão, não só do voto do convertido. Friso que ele deve ser um cristão em qualquer lugar que ele estiver. Não adianta dizer que será político para defender a igreja, pois a igreja não precisa dessa defesa. Quem defende a igreja é Cristo, e quando Ele não a defende é porque o Senhor quer o martírio da igreja mesmo. Se o Senhor quiser o martírio, a perseguição da igreja, devemos ir para o martírio mesmo. Então é isso. Realmente o Evangelho, a Igreja, não dependem de política nenhuma. As instituições que foram criadas "para facilitar" a missão da igreja (aspas minha - Daniel) é que estão traindo o Evangelho à medida que estão se macomunando com o Estado e com a política partidária.

Ariovaldo Ramos